Outras Notícias

« Voltar

Albuquerque defende integração energética além das infraestruturas

Albuquerque defende integração energética além das infraestruturas

Publicação: 27/09/2019 | 15:51

Última modificação: 27/09/2019 | 15:58

Crédito: Bruno Spada/MME

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, abriu hoje, 27, o Seminário Internacional: Transição e Integração Energética nos Países Iberoamericanos, no Centro Cultural da Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. Na ocasião, o Ministro afirmou que o desenvolvimento econômico e social das nações ibero-americanas passa, necessariamente, por uma maior integração energética. “Não se trata, apenas, da construção de infraestruturas de transporte e comércio de recursos energéticos, mas, também, do compartilhamento de conhecimento de tecnologias, padrões de governança, boas práticas regulatórias e jurídicas”, disse.

Albuquerque destacou em sua fala de abertura que, alinhado às políticas do Governo Bolsonaro, está empenhado em concretizar a abertura do mercado energético brasileiro, de forma harmoniosa e transparente, gerindo expectativas e desenvolvendo diversas iniciativas que visam destravar gargalos em importantes questões nacionais, “sempre, fundamentadas nos pilares da governança; da estabilidade jurídico-regulatória; e da previsibilidade; e em nome, principalmente, do interesse público”, enfatizou.

O Ministro afirmou que, apesar das características da matriz energética brasileira, composta majoritariamente, cerca de 85%, por fontes renováveis (hidrelétricas,   eólicas,   solares  e biomassa), e alinhada com o compromisso brasileiro firmado por meio do Acordo de Paris, em que o Brasil  se comprometeu a reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 37%, até 2025 e em 43%, até 2030, “temos o desafio de desenvolver e aplicar políticas públicas que proporcionem desenvolvimento sustentável, considerando, principalmente, o aumento da demanda de energia, que deverá dobrar nas próximas três décadas”.

Nesse contexto, Albuquerque antecipou que, a partir de janeiro de 2020, será implementado “um dos maiores programas de transição energética no setor de transportes: o RenovaBio”. O programa vai provocar o aumento da participação dos biocombustíveis, orientando investimentos em expansão da produção, que proporcionará um ganho ambiental correspondente à redução de emissões de mais de 22 milhões de toneladas de CO2 por ano.

Leia o discurso do Ministro

Assessoria de Comunicação Social
Ministério de Minas e Energia
(61) 2032-5620
ascom@mme.gov.br
www.mme.gov.br
www.twitter.com/Minas_Energia
www.facebook.com/minaseenergia